terça-feira, 21 de Abril de 2009

Engenhos começaram a produzir mel de cana-de-açúcar



A Fábrica Mel-de-Cana Ribeiro Sêco, fundada em 1883 e desde 1935 a produzir mel de cana, começou no passado dia 19 de Abril a sua produção relativa a este ano.
A previsão de entrada de cana-de-açúcar nesta unidade fabril será entre 800 a 900 toneladas, sendo o preço a praticar por quilo de 25 cêntimos.
Pese embora, este ser considerado um bom ano de cultivo da cana-de-açúcar, a gerência da fábrica Ribeiro Sêco considera que será possível satisfazer todos os habituais fornecedores, ficando a promessa de acolher a todos no próximo ano.
A fábrica faz ainda questão de agradecer a todos os agricultores, já que sem eles não seria possível efectuar mais uma produção de mel de cana genuíno, um produto sem aditivos, corantes ou conservantes, e essencial para o verdadeiro bolo de mel da Madeira, entre outras aplicações na gastronomia e na doçaria regional.
A administração da fábrica agradeceu ainda aos «fieis consumidores», esperando que este seja mais um ano para manter qualidade, sabor e tradição do mel de cana-de-açúcar.
Nos últimos oito anos a produção de cana-de-açúcar aumentou 108 por cento, passando de 2.871 toneladas em 2000 para 5.966 toneladas, em 2008.
Para o secretário regional do Ambiente e Recursos Naturais, Manuel António Correia, «desde 1984 que a Madeira não produzia tanta cana e isso resulta dos estímulos que têm sido dados ao sector, particularmente uma fortíssima valorização do preço pago ao produtor».
Dados estatísticos revelam que o valor pago à produção do sector aumentou 285 por cento, de 2000 para 2008, passando de 387 mil euros para 1,4 milhões de euros. O rendimento médio por produtor subiu igualmente, no mesmo período, em 215 por cento, passando de 595 euros para 1.881 euros.
Segundo Manuel António o crescimento dos sector deve-se ao facto de «os agricultores só apostarem naquilo que dá mais rendimento», pelo que só nos últimos cinco anos «houve perto de 40 projectos de investimento no sector da cana sacarina, com apoios comunitários».
A certificação com garantia de qualidade e genuinidade do mel de cana, bolo de mel e broas de mel, levou o governante a reiterar o apelo aos madeirenses para o consumo dos mesmos.
Manuel António Correia anunciou na abertura da laboração da Fábrica Ribeiro Sêco, duas medidas que irão beneficiar o sector da cana-de-açúcar: a redução do IVA do mel e a criação de uma linha de crédito.
O IVA aplicável ao mel de cana passa dos actuais 14 para 4 por cento. Manuel António Correia disse que esta descida de 10 por cento entra em vigor no próximo dia 1 de Maio.
O governante salientou que a redução do IVA não é da competência do Governo Regional e que esta quebra se deve à apresentação de uma proposta da Direcção Regional de Agricultura à Administração Fiscal para que o mel de cana fosse integrado nos produtos que sofrem uma primeira transformação, os quais estão sujeitos a uma taxa de IVA de 4 por cento. A proposta foi aceite.
Manuel António Correia anunciou também que o Governo Regional criou uma linha de crédito de 1,5 milhão de euros para ajudar os empresários dos engenhos a pagar mais cedo aos produtores de cana-de-açúcar.

Sem comentários: